www.hojeamazonia.com.br

OPÇÕES
Logo
Sexta, 12 de agosto de 2022

Policial

Morte de perito Sebastião Tenani foi encomendada

Cinco homens estão presos e investigação continua

Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Durante coletiva de imprensa neste sábado (25), polícia diz que grupo planejou matar perito aposentado. Autor dos disparos foi preso e confessou o crime.

Subiu para cinco o número de presos por envolvimento no assassinato do perito criminal Sebastião Alcídio da Silva Tenani. A atualização dos números foi repassada durante coletiva de imprensa da Polícia Civil e Polícia Militar neste sábado (25), em Porto Velho.

Segundo o delegado José Marcos, a linha de investigação aponta para um homicídio encomendado e a Polícia Civil trabalha agora para descobrir a motivação e quem encomendou a morte de Sebastião.

"Nós acreditamos fielmente que houve encomenda da morte", disse o delegado aos jornalistas.

Os cinco presos pelo assassinato do perito foram identificados como:

Weslen Batista Souza (autor dos disparos)

Fábio Looser

Henrique Sérgio Martins

Diemerson

Ronaldo

 

Na tarde de sexta-feira (24), a polícia havia divulgado sobre apenas um prisão, mas as investigações do caso continuaram e mais quatro suspeitos foram presos.

Das cinco prisões em flagrante, três foram feitas no distrito de Vista Alegre do Abunã, e outras duas em União Bandeirante, onde ocorreu o homicídio.

Segundo a Polícia Civil, os cinco suspeitos montaram uma espécie de organização para matar o perito aposentado e cada um tinha uma função no grupo, sendo que Weslen foi o autor dos disparos. Todos os envolvidos confessaram a participação no homicídio.

"Quando a PM se deslocou ao local do distrito, se deparou com dois criminosos em posse da caminhonete, arma, documentos, cheques e outros objetos pessoais da vítima. Então se resultou no auto de prisão em flagrante. Eles foram presos por crime de receptação e porte ilegal de fogo. Trazidos para Porto Velho, se desenrolou outros nomes e esses dois foram presos por força de prisão temporária", disse o delegado José Marcos.

O comandante do 9° BPM, Emerson Pontes, acompanhou a prisão dos suspeitos e disse que os suspeitos, inclusive, estavam usando um hotel do distrito Vista Alegre do Abunã.

"A caminhonete chamou a atenção da guarnição. Os policiais chamaram para ver quem estava com o veículo e chamou para conversa e daí cada um dos suspeitos falou uma parte. Foi detectado pela guarnição que parte do que foi dito era inverídico", comentou.

O delegado-geral da Polícia Civil de Rondônia, Samir Fouad Abboud, diz que as investigações do caso vão seguir e devem durar cerca de 30 dias.

São três presos temporariamente, envolvidos diretamente na morte do perito criminal, e outros dois que estavam usando a caminhonete da vítima. A dupla afirmou que tinha a intenção de vender o veículo na região do distrito de Porto Velho.

Como o crime foi descoberto?

O homicídio do perito aposentado Sebastião Alcídio da Silva Tenani foi descoberto após o caseiro encontrar estilhaços e marca de sangue na fazenda do perito aposentado, na Linha 101, durante a quinta-feira (23).

Os policiais militares fizeram buscas por Sebastião Alcídio e ele foi encontrado morto próximo ao igarapé São Francisco, no distrito de União Bandeirantes.

No corpo da vítima havia uma perfuração de arma de fogo. Além dos estilhaços de acrílico com manchas de sangue, foram encontrados um isqueiro e a cópia da chave de uma caminhonete.

A Polícia Civil já sabe que Weslen teria sido o autor dos disparos e que o suspeito ficou de 'tocaia' para atacar a vítima quando ela chegasse em casa. Sebastião não teria tido tempo de reagir a abordagem e foi baleado logo ao descer do veículo.

Além da caminhonete e da arma de Sebastião, os suspeitos levaram cartão de crédito da vítima e fizeram compras, o que também deu pistas sobre a localização dos suspeitos

Comentários: