www.hojeamazonia.com.br

OPÇÕES
Logo
Sexta, 12 de agosto de 2022

Geral

Rondônia confirma 4 mortes pelo vírus influenza H3N2 e 7 pacientes estão na UTI em estado grave

Uma criança de quatro anos está entre as vítimas; capital tem sala exclusiva para tratamento

Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

PORTO VELHO, RO- A Secretaria de Estado de Saúde do Rondônia confirmou o registro de quatro mortes causadas pelo vírus da influenza H3N2. Uma variante desse vírus é responsável pela escalada de casos no estado, que vive surto de gripe, com mais de 800 registros deste subtipo de influenza, nas últimas semanas.

Em Porto Velho, o prefeito Hildon Chaves revelou que o surto provocou superlotação nas salas de urgência e emergência das unidades de saúde. O aumento no número de casos deixou as autoridades em alerta, já que o surto da síndrome gripal atinge tanto crianças quanto a população adulta.

Segundo o secretário de Saúde, Fernando Máximo em entrevista ao Fala Rondônia, as quatro pessoas que foram o óbito por causa da Influenza em Rondônia, são:

  • Uma mulher de 66 anos;
  • Um homem de 80 anos;
  • Um homem de 60 anos;
  • Uma criança de 4 anos.

Internações

Até segunda-feira (27), a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) confirmou a internação de 26 pessoas com o vírus da gripe. Desse total, sete estão na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) em estado grave.

Fernando Máximo revelou que dos internados na UTI, há duas crianças, uma de 2 anos e outra de 6 meses.

Prevenção

A orientação da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), é que a população use como medida de prevenção e controle da Influenza as mesmas ações adotadas durante a pandemia de Covid-19, como:

  • Distanciamento social
  • Higiene das mãos
  • Limpeza e desinfeção de ambientes
  • O uso de máscaras

As pessoas que tiverem sintomas como coriza, tosse, febre e dor de cabeça, podem procurar alguma unidade de saúde com o atendimento exclusivo para síndromes gripais.

Fonte/Créditos: Expressorondonia

Comentários: