www.hojeamazonia.com.br

OPÇÕES
Logo
Sábado, 25 de setembro de 2021
Publicidade
Publicidade

Mundo

Terceiro maior diamante do mundo foi encontrado em Botswana-África

Diamantes são raros e eternos

Publicidade
Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Terceiro maior diamante do mundo é descoberto em Botswana-África

Presidente de Botsuana segura diamanteA pedra de 1.098 quilates, considerada o terceiro maior diamante "de qualidade" já encontrado, foi apresentada ao presidente Mokgweetsi Masisi-Botswana-África

A pedra de 1.098 quilates, considerada o terceiro maior diamante "de qualidade" já encontrado no mundo, foi apresentada ao presidente Mokgweetsi Masisi nesta quarta-feira (16).

A descoberta foi feita no início deste mês na mina Jwaneng, cerca de 75 milhas ou 120 km da capital do país, Gaborone. A mina é operada pela Debswana, uma empresa de diamantes de propriedade conjunta do governo de Botswana e do conglomerado de empresas envolvidas na mineração e comércio de diamantes do Reino Unido que opera na África com sede em Londres-Inglaterra, denominado Grupo De Beers

Uma conta oficial do governo no Twitter escreveu que "a receita do diamante será usada para promover o desenvolvimento nacional do país".

"Debswana deve usar esta última descoberta como um ponto de inflexão, para que a mina use sua tecnologia para realizar mais dessas grandes descobertas", acrescentou.

MINA JWANENG

Inaugurada oficialmente em 1982, a mina Jwaneng geralmente rende entre 12,5 milhões e 15 milhões de quilates de diamantes por ano, de acordo com Debswana. A descoberta deste mês é a maior gema desenterrada pela empresa desde que os diamantes foram descobertos pela primeira vez em Botsuana em 1967, disse o governo.

Atualmente, o maior diamante já registrado é o Diamante Cullinan de 3.106 quilates, encontrado na África do Sul em 1905. O Cullinan foi posteriormente cortado em pedras menores, algumas das quais fazem parte das joias da coroa da família real britânica.

Acredita-se que a segunda maior descoberta seja a Lesedi La Rona, uma pedra de 1.109 quilates encontrada pela empresa canadense Lucara Diamond na mina de Karowe, também em Botsuana, em 2015. O diamante foi vendido ao joalheiro de luxo Graff por US$ 53 milhões (cerca de R$ 266 milhões), dois anos depois.

Pedra de 1.098 quilates fotografada em Gaborone, Botsuana
Pedra de 1.098 quilates encontrada em Botsuana-África

Os diamantes em bruto são geralmente classificados como de qualidade de gema, quase gema ou de qualidade industrial, dependendo de sua cor, clareza, tamanho e forma.

Portanto, embora outro diamante ainda maior tenha sido encontrado em Botswana no ano de 2019 – uma pedra de 1.758 quilates apelidada de Sewelô – os especialistas disseram que não poderia ser considerado inteiramente de qualidade  a gema. porém a pedra foi comprada pela marca francesa de luxo Louis Vuitton em 2020, por uma quantia até hoje não revelada.

Comentários:

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade