www.hojeamazonia.com.br

OPÇÕES
Logo
Sexta, 26 de fevereiro de 2021
Publicidade
Publicidade

Política

 Vírus mata 53 brasileiros POR HORA e vereador Rafael de Paula receia que a situação piore 

“Servidor de carreira e ex-Secretário Municipal de Saúde diz que o momento exige esforço de todos”

Publicidade
Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

               Acostumado a lidar com a dor e sofrimento alheio, já que sempre trabalhou na área e chegou a ocupar o cargo se Secretário de Saúde em Pimenta Bueno, o vereador Rafael de Paula diz que a pandemia alastrada no mundo inteiro é devastadora e só pode ser minimizada, até que todos sejam vacinados, com a conscientização de todos, em todos os lugares do planeta.

”Eu acredito que quando a pessoa toma os cuidados de praxe, principalmente usando máscara e evitando aglomerações, está sendo precavida e acima de tudo demonstrando respeito e amor ao próximo”, diz Rafael, chamando a atenção para números que poucos observam.

“Ontem, dia 27, quarta feira,  1.283 brasileiros faleceram. Foram praticamente 53 vítimas do vírus POR HORA ,  quase um POR MINUTO. Aqui em Rondônia nas ultimas  48 horas pereceram 40 pessoas, quase UMA por HORA”, calcula Rafael, explicando que a intenção em detalhar os números  é justamente para chamar a atenção da população sobre a gravidade da situação.

 “A responsabilidade pelo agravamento da crise não pode ser colocada totalmente na conta dos gestores públicos. É um débito dividido entre todos. Não temos certeza do que vai dar certo na contenção do vírus, que já matou 2.170.957 seres  humanos no mundo, 220.161 no Brasil e 2.167 rondonienses, mas sabemos bem o que não ajuda a pelo menos dificultar a propagação de contágios”, frisa o vereador, referindo-se a incredulidade de muitas pessoas e o não cumprimento dos protocolos definidos e defendidos por um conjunto formado pelos melhores cientistas do mundo. “Não podemos culpar os gestores públicos quando decretam restrições de funcionamento comercial e até de circulação de pessoas. Quando uma parcela da comunidade se descuida, até involuntariamente, e não toma as  precauções necessárias para defender a própria vida e principalmente a dos seus semelhantes, a intervenção dos gestores é necessária e apropriada para reduzir os riscos de contaminação.”, concluiu o vereador Rafael de Paula.

OBS: Os dados citados pelo vereador foram atualizados pelo consórcio de veículos de comunicação na manhã da quinta feira, dia 28.

 

Comentários:

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade