www.hojeamazonia.com.br

OPÇÕES
Logo
Terça, 30 de novembro de 2021
Publicidade
Publicidade

Agro

Primeiro brasileiro indicado para o Prêmio Nobel é o "pai da agricultura"

O ex ministro ALLYSON PAULINELLI é considerado o "maior brasileiro vivo"

Publicidade
Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Hoje o agronegócio é o principal pilar de sustentação da economia brasileira. Entretanto, mais importante é a preservação da paz no mundo e é nisso que o agronegócio contribui de maneira decisiva. O agronegócio brasileiro alimenta 7 bilhões de pessoas no mundo e isso promove a paz mundial, já que, historicamente, a fome é motivadora de guerras e conflitos.

Agora o agro brasileiro se conecta com o Prêmio Nobel, talvez o mais importante título do planeta, concedido a  “para a pessoa que tenha feito o maior ou o melhor trabalho pela fraternidade entre nações, pela abolição ou redução dos exércitos permanentes e pela manutenção e promoção de congressos de paz”.

 O comitê nacional encarregado pela indicação de nomes escolheu o ex-ministro Allyson Paulinelli para o Nobel de Paz e a sugestão foi aprovada pelo Comitê Nobel Norueguês, que “filtra” as indicações do mundo inteiro, analisando criteriosamente o histórico dos indicados.

Mais de cem entidades, de 28 países, enviaram cartas de apoio ao Comitê Norueguês e a opinião de Roberto Rodrigues, presidente da Escola Superior de Agricultura, considerando Paulinelli como MAIOR BRASILEIRO VIVO está correta.

Nos anos 70 o Brasil importava alimentos e o trabalho, as idéias e a dedicação de Paulinelli  foram decisivas na modernização dos sistemas produtivos que fizeram do Brasil a maior potência agrícola do mundo. A transformação do cerrado brasileiro, antes improdutivos, em áreas de grande produção agrícola e pecuária foi uma das destacáveis iniciativas de Paulinelli.

 Ele foi o grande defensor da tecnologia e da inovação e talvez seu maior feito tenha sido a criação da EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISAS AGROPECUARIAS, instalando 26 representações em várias regiões do país, durante sua passagem pelo Ministério da Agricultura.

Quem não tem relações diretas com o agronegócio dificilmente percebe a dimensão do trabalho desenvolvido pela Embrapa desde a sua criação. Especialistas em diversos campos, de geneticistas até viveiristas, trabalham continuamente na criação de novos cultivares que, incorporados ao sistema agropecuário, estabelecem parâmetros cada vez mais avançados. Graças a EMBRAPA – cria de Allyson Paulinelli – agricultura e pecuária brasileira evoluíram de tal maneira que viraram uma referência mundial.

As chances de Allyson receber o NOBEL DA PAZ são grandes. Ele tem méritos para isso e podemos observar que provavelmente seus feitos são mais reconhecidos em outros países do que no Brasil. Digo isso embasado nas mais de cem entidades, de 28 nações, em declarado apoio ao ex-ministro, primeiro brasileiro a disputar o Nobel.

As pessoas especiais, capazes de feitos extraordinários, vislumbram as coisas além do seu tempo e não se preocupam com reconhecimentos públicos, aplausos ou homenagens. Estão focadas no bem estar coletivo, no resultado da idéia original décadas depois, mesmo que não vivam o suficiente para presenciar.

A indicação de Paulinelli para o NOBEL DA PAZ é já foi uma conquista inédita. A aprovação da indicação consagra a história de um homem que pode e deve ser considera o MAIOR BRASILEIRO VIVO. Coroa de méritos também o agronegócio brasileiro, desde o exportador até o micro produtor no sistema de agricultura familiar. Foram eles que colocam em prática tudo o que Paulinelli planejou e criou. É agronegócio brasileiro no PREMIO NOBEL.

Luis Cláudio da Agricultura

Comentários:

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade