www.hojeamazonia.com.br

OPÇÕES
Logo
Terça, 30 de novembro de 2021
Publicidade
Publicidade

Agro

Produtores de leite prometem interditar acesso aos laticínios no Estado inteiro

Produtores do Estado inteiro estarão em movimento nas primeiras de amanhã

Publicidade
Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

               Os pequenos e médios produtores de leite de Rondônia estão prontos para endurecer o  movimento grevista que já dura cerca de três semanas. Os produtores suspenderam o fornecimento de leite aos laticínios em protesto ao preço pago pelas indústrias por litro do produto.

               Todas as tratativas entre representantes dos laticínios e da Comissão dos Produtores  findaram infrutíferas e hoje, sexta feira, o Governo do Estado e deputados estaduais intermediavam as negociações, tentando um ponto de convergência capaz de atender os produtores e as indústrias de transformação do leite

               Os produtores de leite considerados pequenos ou médios receberam, na ultima quitação, mês passado, 1 real e 20 centavos por litro de leite. O valor, segundo os produtores, ser não for menor, equivale ao que se gasta para produzir, tornando inviável essa variante de produção rural.

Rui Barbosa, presidente da Comissão, informou que nas primeiras horas de amanhã, sábado, 24, produtores de leite de todas as regiões estarão em movimento, reunindo-se ao longo da BR-364 com caravana que parte de Porto Velho e distritos. A promessa é “radicalizar” o movimento grevista em Rondônia inteiro,

 “Não estamos sendo levados a sério, não temos representantes políticos compromissados com o pequeno produtor. Todos anunciam apoio, mas estão neutros na questão. Estamos sendo “cozidos em fogo baixo”, reclamou Rui Barbosa, depois de informar e convocar, pelas redes sociais, os produtores de praticamente todos os municípios. No convite, Rui enfatizou que se trata de um movimento pacifico, pedindo aos produtores que não levem bebida alcoólica, evitem tumultos e também não portem nenhum objeto que possa ser visto como arma. “Nosso movimento não é para confrontar. É para ajustar o que precisa ser ajustado”, disse ele.

Como os grandes produtores continuam entregando o leite, já que recebem no mínimo, 30%  a mais que os pequenos por litro, o plano dos grevistas é bloquear saída ou entrada dos caminhões tanques que transportam o leite da área rural até as indústrias, nas cidades de Jarú, Ji- Paraná, Presidente Médici e Rolim de Moura.

A reportagem do hojeamazonia perguntou ao presidente da Comissão se divulgar a  estratégia antecipadamente não facilitaria medidas preventivas das indústrias, como a solicitação de intervenção da Policia Militar ou da Policia Rodoviária Federal, por exemplo.

Rui Barbosa respondeu que “não faz diferença. Somos muitos e estamos em todas as linhas vicinais do Estado, além de que o bloqueio não precisa ser exatamente nos portões das indústrias.” Com uma pequena carga de humor e ironia, disse que o aviso antecipado pode ser entendido como gesto de cortesia aos donos de laticínios. “Eles terão algumas horas para rever propostas e evitar transtornos. E no que se refere a nós, posso assegurar que vamos manter o movimento o tempo que for necessário,” finalizou ele.

O movimento vai reunir aproximadamente 150 veículos e aproximadamente 800 produtores, segundo estimativas da Comissão.

Comentários:

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade